Micaretando - O site da folia

Por favor, atualize seu Flash Plugin.

Get Adobe Flash player

Coluna de MICARETANDO

  • Os 5 Cavalheiros do Apocalipse.

    Publicada em: Março - 2019

    Por: MICARETANDO

    O Carnaval Proibido Das Ruas
     
    A cidade mergulha na madrugada de Carnaval suspirando e ansiando por luxúria.
    Um casal faz juras de amor dentro de um carro, o vidro vai embaçando com o ar quente que sai de suas bocas bafejado pelo calor da paixão. Ele lhe rouba beijos ardentes e o carro começa a sacudir.
    Vamos sair em busca de novas transas no ritmo do Samba Reggae e na volúpia cadenciada do Ijexá.
    Agora vejo dois rapazes na areia da praia, eles se banham aclarados pelo brilho da lua comanche.
    A lua cinza dos amantes. A lua do caçador de emoção. Traído na terça-feira, ressurge como um Deus na quarta-feira de cinzas. Viva a sociedade alternativa!
    Paz e amor!
    Três urras para as diferenças:
    URRA!!!
    URRA!!!
    URRA!!!
    Enquanto isso aqui na volta do percurso na minha rua na Sabino Silva uma galera passa cantando o hit do Carnaval (abaixa que é tiro!!). Enquanto que uns em vez de andar pra pegar o busu ou o bendito Uber no fim da Centenário ficam na porta dos prédios se beijando ou vomitando, pois o Carnaval não é pra fracos. Só para os fortes! E a chuva não intimida, mas alegra e dá um up naqueles que estão perdidos no meio da volta da folia. Enfim, estou aqui a observar beijos, cachaça e brigas de casais. Aqui é pra quem aguenta! Se não aguenta, DIGA LOGO e nem vá pra folia!
    A pluralidade é bem-vinda! A pluralidade é essência e ingrediente forte apimentando as ruas de Carnaval! E Carnaval é liberdade! Fingimos não ver o que não gostamos por respeito. E me perguntam: 
    - Cadê o trio? 
    Respondo quase gritando: 
    - Qual deles, véi? 
    Preciso beber mais alguma coisa.
    Depois de algumas doses da especial Capetinha do Arraial e da devastadora Skol Beats, que aos poucos vai dominando o nosso íntimo, percebemos que essa folia não acaba e tem festa 24 horas. Estamos prontos pra mais uma noite de folia atrás dos poderosos e potentes trios elétricos que chegam a fazer pressão no coração. Tem de tudo, casal ficando em hotel, casal ficando em mansão, 20 pessoas ficando em kitnet e até mesmo gente dormindo em caminhão! Carnaval é democracia, não tem cor, não tem status financeiro, não tem opção sexual! No carnaval, durante cerca de cinco dias todos nós fazemos parte de uma só folia em busca da alegria! Eis que surge sorrateira, a quarta feira de cinzas tornando cinza o horizonte , desmanchando os amores ditos eternos, tornando nítida e nua as mazelas que durante cinco dias a embriaguez acobertou. Trazendo o gosto ácido na garganta da bebida em excesso e tudo mais e aos poucos, a razão vai dando vez a emoção, a dura realidade que teima em voltar. Contas, sub emprego, filas nos hospitais e aí já não adianta abaixar que o tiro é mais rápido e letal. O que fazer? Vamos em frente teimando em resistir e planejando os próximos cinco dias de folia separados por trezentos e sessenta dias de servidão? Vamos dar um grito e um basta? E transformar os trezentos e sessenta dias em um carnaval de cidadania, de democracia, de respeito às pessoas, ao meio ambiente, de amor aos animais! A escolha é nossa. A caneta da história está em nossas mãos. Mãos de analfabetos, então, já sabemos o fim. Cinzas...

    Escrito por Paulinho Caldas, Beto Espínola, Lequinho Torres, Alexandre Thai e João Marcelo.

     

     

     

     
VOLTAR